Como tudo começou

Muitas pessoas me perguntaram: "Thales pediu demissão?", "Vai fazer algum projeto na Asia?", "5 meses só viajando?"
Vamos esclarecer pra quem ainda não sabe...
Por morar na Alemanha, Thales pode optar pela licença paternidade estendida. Você pode se perguntar "mas 6 meses de licença paternidade?" Sim, mas não igual ao Brasil. Vou tentar resumir em alguns parágrafos as sessenta e poucas páginas da cartilha do governo alemão.

A licença oficial obrigatória, na qual o funcionário recebe integramente pelos dias não trabalhados, é mais curta que no Brasil: 14 semanas para a mãe (sendo 6 semanas antes do nascimento) e 1 dia para o pai. Porém, os pais podem optar pela licença estendida, que somado o tempo tirado pelo pai e pela mãe é de 14 meses. Mas antes que você fique indignado com o sistema brasileiro, vale a pena esclarecer que durante essa licença estendida o funcionário não recebe o salário integral. O governo (e não a empresa) arca com 65% do salário bruto até o limite de 1800 euros. Portanto, se não houver planejamento, nem as contas de casa fecham com essa licença.

Conhecendo as regras do jogo e tendo alguns colegas como inspiração - valeu Djalma! :-), assim que soubemos da gravidez do Thomas, começamos a maturar a ideia. A partir daí, foi só se planejar. E quanta energia gastar pra planejar?? Isso é assunto pra outro post. ;)